A história do MMA (Vale Tudo): Saiba tudo sobre o UFC e o Pride

A história do MMA

Uma das competições esportivas que mais crescem atualmente é o estilo de luta conhecido por MMA (Mixed Martial Arts, ou Artes Marciais Mistas), famoso no Brasil como Vale-Tudo. Embora a olhos leigos pareça um esporte violento, a cada dia ele se torna mais profissional, com regras bem definidas, lutadores que são verdadeiros ídolos e um público crescente a cada novo evento.

Mas como surgiu o MMA? Os primeiros registros datam do séculoVII a.C., quando os gregos criaram o pankration, uma mistura de boxe com luta livre e que chegou a ser o esporte mais popular dos jogos Olí mpicos da Antiguidade.

O nascimento daquilo que se tornaria o embrião do MMA ocorreu somente no século passado, graças ao brasileiro Carlos Gracie, que aprendeu judô e o transformou de tal forma que criou uma nova modalidade chamada de jiu-jitsu. Para promover o jiu-jitsu, Gracie e seus irmãos criaram o Gracie Challenge, onde desafiavam lutadores de outras modalidades para mostrar como os lutadores de jiu-jitsu poderiam encarar oponentes de qualquer estilo de luta, e vencê-los. Não é à toa que os desafios eram conhecidos como Vale-Tudo.

História do MMA

Mixed Martial Arts MMA

Desde então, o esporte vem crescendo exponencialmente, seja em popularidade, estrutura ou quantidade de dinheiro envolvido. O primeiro grande evento de Vale-Tudo ocorreu em 1993: o Ultimate Fighting Championship (UFC), realizado nos Estados Unidos batendo recordes de audiência na TV paga. As primeira edições do UFC não tinham muitas regras: os lutadores sequer eram categorizados de acordo com o peso, não havia limite de tempo ou equipamentos de segurança. Era entrar no famoso ringue octogonal (The Octagon) e lutar até que seu oponente fosse nocauteado ou desistisse da luta.

UFC

Hoje, com a evolução natural das regras, o MMA tornou-se um esporte praticado em altíssimo nível, com regras rígidas que tem como principal objetivo manter a integridade física dos atletas e garantir para o público um excelente entretenimento. Embora não exista um órgão regulamentador central, as lutas de MMA há muito deixaram de ser um Vale-Tudo, seguindo algumas regras básicas:

-Os lutadores devem usar luvas de dedo aberto, que deverão ser fornecidas pelo evento;
-É obrigatório o uso de coquilha (acessório para proteção genital);
-É obrigatório o uso de protetor bucal;
-É permitido (mas não obrigatório) o uso de: sapatilhas, protetores para os joelhos, protetores para os cotovelos e bandagens para os tornozelos e punhos;
-Os lutadores não podem aplicar na pele produtos como óleo, vaselina etc.

Além disso, algumas regras de combate são estabelecidas. É proibido:

-Atingir a região genital;
-Morder;
-Por dedos nos olhos do oponente;
-Puxar cabelo;
-Atingir nuca (no Pride);
-Dar cotoveladas de cima para baixo;
-Dar qualquer tipo de cotovelada (no Pride);
-Dar cabeçada;
-Agarrar as cordas do ringue;
-Jogar o adversáriopara fora do ringue;
-Chutar o adversário quando ele estiver no chão (UFC);
-Pisar na cabeça do oponente;
-Dar pedaladas quando o adversário estiver com os joelhos no chão;

Os lutadores que deixarem a luta ‘amarrada’, não demonstrando agressividade, são advertidos e a luta é reiniciada. Se os dois lutadores estiverem no solo a ponto de sair do ringue, o juiz deve parar a luta e colocar os dois lutadores na mesma posição no centro do ringue.

A luta é finalizada quando:

-O lutador bate no tatame, indicando que não suporta mais o golpe
-O treinador joga a toalha no ringue
-O lutador desmaia ou o juiz decide que ele não pode mais continuar
-O lutador sangra, e o ferimento não é estancado pelo médico no tempo estabelecido
-O lutador viola as regras listadas acima
-O tempo de luta se esgota

Dada a aparente brutalidade do combate, é normal os lutadores terminarem a luta sangrando, mas por mais incrível que possa parecer, são apenas ferimentos superficiais, bem menos graves do que acontece no boxe, por exemplo, onde é comum lutadores encerrarem a carreira por conta de danos cerebrais, ocasionados por socos dados pelo tipo de luva que não machuca a pele, mas tem efeito devastador nos órgãos internos.

Dois grandes eventos dividiam a atenção dos fãs do MMA: o UFC e o Pride. Com a aquisição do Pride pelo UFC, todos as grandes lutas de MMA ficaram sob a tutela do UFC, sendo que a cada ano é realizado um grande evento reunindo os campeões do UFC e do extinto Pride.

As diferenças que existiam entre os 2 torneios eram pequenas, relativas apenas à duração dos combates e distribuição das categorias por peso, como você pode conferir abaixo:

UFC

Início: 1993
Local: Estados Unidos
Rounds: 5 rounds de cinco minutos (cinturão) ou 3 rounds de cinco minutos
Categorias: Lightweight (até 70,307kg)
Welterweight (até 77,111kg)
Middleweight (até 83,915kg)
Lightheavyweight (até 92,987kg)
Heavyweight (até 120,203kg)

Pride

Início: 1997
Local: Japão
Rounds: 1 round de dez minutos e 2 de cinco minutos
Categorias: Lightweight (até 70kg)
Welterweight (até 83kg)
Middleweight (até 93kg)
Heavyweight (acima de 93kg)

Sendo berço do jiu-jitsu, o Brasil logo se destacou no MMA, sempre trazendo lutadores de alto nível técnico para não só competir, mas também para se tornarem vencedores em qualquer categoria disputada. Entre os nomes a serem destacados estão o de Anderson Silva, Maurício Shogun, Murilo Ninja, Wanderlei Silva e Rodrigo Minotauro.

Comentários facebook :

3 pensamentos sobre “A história do MMA (Vale Tudo): Saiba tudo sobre o UFC e o Pride

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *