Antônio Pezão tem contrato encerrado com o UFC depois de quatro anos.

antonio-pezao-silva

Antônio Pezão não é mais lutador do UFC, o contrato do peso pesado brasileiro chegou ao fim e, nesta sexta-feira, ele e seu empresário, Alex Davis, foram informados que não será renovado. O lutador deve permanecer em atividade e o mais provável é o acerto com outra organização – o mais cotado é o Rizin Fighting Federation, do Japão.

Em entrevista ao combate.com, o empresário de Pezão disse que conversou com o UFC e as duas partes decidiram que o contrato não seria mais renovado. “A participação do Pezão no UFC chegou ao fim. Ele fez grandes lutas, outras nem tão boas, mas ele é um grande atleta, um dos grandes nomes do MMA mundial e foi uma decisão de comum acordo”, explicou Alex Davis.

O empresário disse que Pezão tem possibilidade de ingressar em outros eventos, mas não citou nome. Um deles é o Rizin Fighting, que recentemente levou Wanderlei Silva, depois que o Cachorro Louco se desligou do UFC. “O UFC entendeu a nossa posição e, como já estava no fim do contrato, eles poderiam ter segurado para não deixá-lo sair para outro evento, mas não fizeram isso. Somos gratos, acho que ainda fará grandes lutas”, frisou.

Aos 37 anos, Pezão deixou o UFC em fase negativa, com três derrotas consecutivas, duas por nocaute (Stefan Struve e Roy Nelson) e outra por nocaute técnico (Mark Hunt). Nas últimas dez lutas pela organização, ele só venceu três. Perdeu seis e empatou uma. Contratado em 2012, o brasileiro disputou 11 confrontos e teve rendimento ruim: ganhou apenas três, sofreu sete reveses e empatou outra.

O melhor momento de Pezão, que chegou do extinto Strikeforce, incorporado ao UFC, foi nas vitórias seguidas diante de Travis Browne e Alistair Overeem, ambas por nocaute, que garantiram ao brasileiro a disputa de cinturão peso pesado. Entretanto, ele foi batido pelo então campeão, Cain Velasquez, sem conseguir sair do ground and pound e das cotoveladas do norte-americano. O Bigfoot caiu de produção após a proibição do tratamento de reposição de testosterona, o TRT, ao qual era submetido por causa de baixa hormonal.

Fonte da Notícia: www.superesportes.com.br

Comentários facebook :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *