Cain Velásquez lembra revanche com Cigano ao se motivar para Werdum

Cain Velasquez vs Fabrício Werdum

Derrotado por Fabricio Werdum em junho deste ano, o ex-campeão dos pesos-pesados Cain Velásquez recebeu uma chance de recuperar seu cinturão imediatamente em fevereiro de 2016, no UFC 196, em Las Vegas. O lutador americano de raízes mexicanas se vê em situação semelhante à que encarou em 2012, quando enfrentou Junior Cigano um ano após ser nocauteado pelo catarinense ainda no primeiro round. Velásquez respondeu com uma performance dominante por cinco rounds para retomar o título, e tira motivação daquela experiência para se preparar para o reencontro com Werdum.

Já estive nessa posição antes, com uma revanche pela frente após perder a primeira luta, sei o que é preciso fazer para vencer, e o farei. Eu vejo as coisas que fiz errado na última luta, volto a treinar e tento melhorar nisso. Estou sempre tentando evoluir, essa é a fórmula – afirmou o ex-campeão, em entrevista coletiva recente em Las Vegas.

Porém, boa sorte a quem tentar fazer Velásquez admitir o que fez de errado na derrota para Werdum. Sempre monossilábico nas entrevistas, o americano não usou a desculpa da altitude da Cidade do México, sede do último confronto, para justificar o revés, e declarou que só havia uma diferença entre aquela luta e a que acontecerá em fevereiro do próximo ano.

Vou vencer. Só isso. Quanto aos treinos, só vou estar pronto para tudo. Eu nunca desmereci nada do Fabricio na primeira luta, sobre ele ser fraco aqui (ou em qualquer área). Não, ele é forte em todo lugar. Ele sempre está melhorando. Espero um Fabricio ainda melhor nesta luta, uma luta mais dura, mas uma luta que vou vencer.

Assim como aconteceu na derrota para Cigano, Velásquez estava parado havia mais de um ano antes de enfrentar Werdum, devido a uma série de lesões e cirurgias. O americano não experimentou nenhum problema desde então, mas, mesmo assim, não vai mudar sua fórmula de treinamento.

Estou saudável agora, 100%. Eu só vou ao treino todos os dias, me esforço ao limite, e é isso. Se algo acontece no treino e eu me lesiono, que seja, mas não vou deixar nada de lado, vou continuar movendo-me para frente, indo ao limite do meu corpo. É assim que eu faço, e, enquanto eu tiver sucesso, vou seguir fazendo isso – concluiu.

Fonte da Notícia: Globo.com

Comentários facebook :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *