Marcus Buchecha aposta em bom ritmo de luta para vencer Roger Gracie

Neste domingo, o Gracie Pro vai receber uma das lutas mais esperadas no jiu-jítsu mundial. Roger Gracie e Marcus Buchecha vão reeditar luta do Metamoris, em 2012, que terminou empatada. Desta vez, com as regras da Confederação Brasileira de Jiu-Jítsu, que leva em consideração a contagem de pontos, um dos lutadores vai sair vitorioso do tatame.

Apesar do empate no passado, Buchecha acredita em um duelo com circunstâncias muito diferentes. Em entrevista ao programa Revista Combate, o lutador destacou o grande aprendizado que teve nos últimos cinco anos, e por isso aposta no bom ritmo que vem mantendo desde então.

– Mudou muita coisa desde 2012 para cá, acho que sou um atleta melhor. Acho que evoluí muito como atleta, são cinco anos a mais no currículo depois dessa luta, mais oito títulos mundiais, somando dez no total. Venho treinando bastante. Acho que eu estava em um ritmo muito bom no Mundial, que foi um mês e meio atrás, então só foi manter o ritmo e esperar a grande hora – disse Buchecha. (essa luta de 2012 pelo Metamoris você pode ver CLICANDO AQUI

)

Com Roger afastado do jiu-jítsu desde 2015, é natural que Marcus Buchecha não tenha muito material recente do adversário para estudar, enquanto Gracie, por sua vez, tem à disposição diversos combates de Buchecha para analisar. A questão, no entanto, não parece incomodar o lutador de 27 anos, que prefere focar no próprio desempenho.

– Eu não me preocupo muito com isso, com o adversário, acho que eu me preocupo com o meu jogo. Entrar lá, colocar o meu ritmo, independentemente de contra quem seja. Acho que com o Roger não vai ser diferente. Ele também não tem como fugir do que sempre foi, com certeza não vai aparecer com uma coisa que ninguém está esperando. Vai ser o jogo dele, aquele jogo que todo mundo sabe que ele vai fazer, um jiu-jítsu bem simples, mas muito eficiente. Estou preparado para isso, venho de um ritmo, treinando para o Mundial, que eram dez tipos diferentes de jogo, e eu precisava estar preparado, por isso eu não tento pensar em um jogo só. A ideia é colocar ele para se preocupar comigo, e não eu com ele (risos) – finalizou. (Fonte da notícia: www.combate.com)

Comentários facebook :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *