Miesha Tate admite interesse em enfrentar Cris Cyborg no UFC e se mostra confiante em vitória

Miesha Tate

Campeã peso galo, Miesha Tate tem a primeira defesa de cinturão marcada para o UFC 200, no dia 9 de julho, em Las Vegas, quando enfrentará a brasileira Amanda Nunes. Mas a Cupcake não deixa de pensar no futuro. Nesta quarta-feira, ela participou de um almoço com a imprensa norte-americana e, questionada sobre um futuro duelo contra outra atleta do Brasil, Cris Cyborg, demonstrou muita empolgação e declarou que poderia ser a primeira a vencê-la na organização.

Miesha disse que poderia levar a melhor diante de Cyborg na base da superação e determinação. “Seria muito legal lutar contra a Cyborg, de verdade. Ver como seria lutar contra alguém que tem a força dela. Eu sou a primeira a admitir: fisicamente acho que eu estaria em desvantagem, mas acredito que eu possa ser a pessoa que vai provar que tem coração, durabilidade, determinação e a força de vontade, além da técnica, para superar esse tipo de desafio. E isso me fascina, seria muito recompensador para mim”, avaliou.

Miesha Tate ufc

A única dificuldade para Miesha enfrentar Cyborg no UFC seria o fato de não lutar pelo cinturão, em um duelo com peso casado, como ocorreu na estreia da brasileira, na edição de número 198, em Curitiba, quando nocauteou Leslie Smith no primeiro round. O confronto foi em catchweight: 63,5kg, já que a paranaense, campeã peso pena (até 66kg) do Invicta FC, teria problemas para lutar na divisão dos galos (até 61kg).

Eu não sei se consigo não lutar pelo cinturão enquanto sou a campeã. Eu não sei como isso funciona, não sou Conor McGregor. Ele tem suas próprias regras. Eu não tenho certeza. Seria melhor se a gente fizesse uma luta pelo cinturão, se isso for permitido”, enfatizou a campeã do UFC, que conquistou o título ao finalizar a ex-dona do cinturão Holly Holm, com mata-leão no quinto round, no UFC 196, em março passado.

Uma das lutadoras mais temidas no MMA feminino, Cris Cyborg tem apenas uma derrota na carreira. E foi na estreia, em 2005, para Erica Paes, em um evento na cidade natal, Curitiba. A campeã do Invicta e ex-dona do cinturão peso pena do extinto Strikeforce, tem 16 vitórias – sendo seis consecutivas – e um No Contest (luta sem resultado), quando foi flagrada no antidoping e teve o triunfo por nocaute técnico sobre Hiroko Yamanaka anulada.

Fonte da Notícia: www.superesportes.com.br

Comentários facebook :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *