Tentou intimidar a Professora de Karatê e se deu mal.

mestre-de-karate-defendendo

O Valentão tentou intimidar a Faixa Preta de Karatê e se deu mal, por várias vezes ele elevou a voz, e quando tentou tocar nela ela sempre tinha um contra golpe para responder a altura, por duas ocasiões ela mostrou que não teria medo dele mesmo com todo esse tamanho.



Comentários facebook :

5 pensamentos sobre “Tentou intimidar a Professora de Karatê e se deu mal.

  1. Esse video é velho. Sempre dão enfoque num cara que dizem ser o valentão, mas a verdade é justamente o contrário: a mulher que é a valentona. O cara veio com um guincho buscar o carro da mulher porque não pagava as prestações e a financeira conseguiu uma ordem judicial de busca e apreensão. A mulher impediu com uso de agressão física e o cara estava tentando fazer o que lhe fora mandado, mas era impedido fisicamente por golpes da mulher e o cara só reagiu com elevação de voz . Por fim o carro foi levado e a mulher foi assinar um BO.

  2. Pois é como já disse um parceiro aí , não é um caso de luta de um valentão contra uma mulher! É o confisco de um carro financiado com prestações atrasadas! O Cara é um Repo-man, e também um oficial de justiça juramentado autorizado a fazer isto pela lei! É uma forma de reduzir custos judiciais que seriam agregados ao veículo trazendo tanto prejuízos maiores a financeira como aumentando a dificuldade de quem quiser recuperar o carro pagando os atrasados! A mulher recusa-se a devolver o carro, o cara pode pedir o reforço policial, mas já disse isso vai tornar mais caro a recuperação para a financeira, por que a polícia vai cobrar as despesas, e a mulher pode ser presa e acusada de obstrução de medida judicial (pena de seis meses a um ano!), além de ter seu crédito destruído arruinando por um bom tempo sua cotação impedindo-a de ter cartões de crédito ou qualquer outro tipo de financiamento. A financeira também não quer ter sua imagem associada com uma situação de falta de piedade com pessoas em dificuldades financeiras já que nos EUA são elas que correm atrás dos clientes e não ao contrário como ocorre no Brasil onde o consumidor tem que implorar para ter crédito para tudo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *